Depressivo, cão para de comer por não ter uma família
11 de março de 2017
Descubra o porquê boa ração faz seu gato viver mais
18 de março de 2017
Exibir Tudo

Micose que causa mortes e deixa gatos em carne viva causa pânico no Rio. Mas tem cura!

Esporotricose pode matar, mas tem cura (foto: vidadeveterinario.com.br)

 

 

Uma micose vem causando pânico entre os donos de gatinhos, a esporotricose. Mas há tratamento, gente!  A infecção provoca lesões gravíssimas na pele de gatinhos, humanos e cães, uma vez que é transmissível.

 

A doença tem se espalhado principalmente no Rio de Janeiro. De acordo com a Vigilância Sanitária do Rio, houve um aumento de  400% no número de animais diagnosticados em 2016, em sua maioria gatos. Ao todo, o órgão fez 13.536 atendimentos no ano passado.  Em 2015, registrou 3.253.

 

A esporotricose pode passar de animais ou de lugares infectados para humanos. Não é só o gato que transmite, como revela a veterinária especializada em gatos, Luciana Deschamps.

Deschamps, da clínica Dr. Gato em São Paulo, cuida de felinos há mais de 30 anos. A médica veterinária conta que, se a pessoa tiver uma lesão e encostar em um lugar infectado, também pega a doença. Assim como com mordida ou arranhão de um gato infectado.

 

— Os gatos não são vilões, são vítimas e podem ser tratados. A doença forma feridas úmidas que deixam a pele em carne viva. Os medicamentos fazem efeito em três meses de tratamento.

 

Tratamento

 

Para o tratamento, indica-se uso de luvas e isolamento do animal pelos três meses em que estiver sob medicação. As feridas, que parecem bolinhas no início, abrem-se com pus depois e têm que ser tratadas imediatamente.

 

— Tem que levar imediatamente ao veterinário. Os remédios são via oral e também cuidam do fígado/estômago do gatinho.

 

No humano, a doença começa com pequenos caroços que coçam. Depois, também aumentam e infeccionam, se não tratados. A cura acontece em dois meses, com os cuidados e remédios receitados por dermatologista.

 

Gatinhos podem viajar com você e acostumam a andar na coleira? Saiba como

 

*Estamos nas redes 🙂

Sigam-me os bons

 

 

 

Os comentários estão encerrados.